Um dos maiores desafios enfrentados pelas empresas atualmente é a implementação de práticas sustentáveis como parte das políticas institucionais.

A poluição do ar e a mudança climática estão entre os principais desafios que o mundo enfrenta hoje. O aumento da temperatura global, que está muito associado ao desmatamento e a emissões de gases poluentes na atmosfera, pode ter consequências irreversíveis para o planeta, como o aumento significativo de incidentes de condições meteorológicas extremas, tais como: enchentes, secas, entre outros.

Em tempos atuais, praticamente nenhum produto, serviço ou atividade está totalmente livre da emissão de gases do efeito estufa (GEE), sendo que a principal delas é a emissão de carbono.

Os principais impactos da emissão desses poluentes são: aumento da temperatura na terra, derretimento de geleiras e aumento do volume dos oceanos, extinção e migração de espécies, alteração química do planeta e outras circunstâncias prejudiciais ao meio ambiente.

Assim, medir o tamanho desse impacto por meio de ferramentas, como o inventário de emissões, especialmente o de CO2, é essencial. Na impossibilidade de reduzir as emissões, faz-se o que chamamos de compensação de carbono. Trata-se de um caminho para a descarbonização da economia, com o objetivo de conter o aumento da temperatura média do planeta.

Quer entender como funciona na prática a compensação de carbono?

Confira agora!

 

O que é a compensação de carbono?

A compensação de carbono (descarbonização) é uma estratégia adotada mundialmente com o propósito de diminuir os impactos causados pelos gases de efeito estufa.

Essa prática surgiu em 1990 e tem ganhado cada vez mais força no decorrer dos anos, graças a maior visibilidade que as causas ambientais têm conquistado na sociedade.

Em resumo, como o próprio nome sugere, essa ação consiste em reduzir e neutralizar os gases poluentes emitidos pelas empresas e pelas pessoas ao longo dos anos.

Na prática, a compensação de carbono é considerada bastante eficiente e entende-se que ela pode ser feita por meio do plantio de novas árvores ou por meio dos créditos de carbono adquiridos a partir de projetos que visam fazer o “sequestro" de CO2 da atmosfera – por exemplo, projetos de geração de energia a partir do uso de biomassa ou projetos de desmatamento evitado, os chamados REDD+ (Redução de Emissões provenientes de Desmatamento e Degradação Florestal).

 

Caminhos da Neutralização

Agora que você já sabe a importância da compensação de carbono para o ambiente, queremos mostrar que existem algumas maneiras (que podem ser adotadas por empresas e organizações) de fazer a compensação de carbono. E, até melhor, maneiras de tornar suas operações mais limpas e renováveis:

 

Medição

Medir é o primeiro passo. Esta é a chave para compreender as fontes, a abrangência e a contabilização das emissões e estabelecer metas, além de avaliar a efetividade das ações implementadas, garantindo maior eficiência.

Em 2021, a Localiza, ao incluir em seu inventário as emissões de nossos clientes e auditá-lo por terceira parte, recebeu o Selo Ouro do GHG protocol, que atesta o alcance do mais alto nível de qualificação, demonstrando que foram cumpridos todos os critérios de transparência para publicação e verificação da emissão de GEE.

 

Redução

Reduzir é a prioridade. Para isso, é necessário atuar na essência do problema e trazer soluções alternativas e tecnologias que garantam impactos positivos duradouros.

A Localiza, por exemplo, abastece cerca de 99% dos seus carros com etanol, combustível significantemente menos poluente que a gasolina (quando abastecido pela própria empresa). Além disso, possuímos um projeto robusto de energia renovável, que vem crescendo e abrangendo um número cada vez maior de cobertura da sua operação. Entre outras ações que envolvem mais eficiência energética e engajamento de clientes.

 

Parcerias

Há uma série de movimentos e organizações, espalhadas pelo mundo, comprometidas com a sustentabilidade. Vale a pena buscar entender e se engajar.

No caso da Localiza, integramos o CCC – Compromisso com o Clima, do instituto EKOS e fazemos parte do programa Ambição Net Zero, da Rede Brasil, do Pacto Global da ONU, além de sermos signatários e participantes/atuantes do mesmo. Além disso, a companhia tem avançado cada vez mais em parcerias com clientes PJ em busca de práticas, frotas e abastecimentos menos poluentes.

 

Compensação

Compensar é importante para conter o dano de emissões remanescentes. Essa prática se dá por ações que causam impacto inverso no meio ambiente, sequestrando carbono e gerando créditos de carbono (ex: desmatamento evitado, plantio de árvores, entre outros).

Quando, apesar dos esforços de redução de emissões, ainda restam emissões, segue-se para a compra de créditos de carbono para neutralizar as emissões remanescentes.

A Localiza compensa as emissões provenientes de sua operação e possui critérios específicos para a escolha de projetos de geração de créditos de carbono que serão utilizados nesse processo.

Uma empresa que se mostra preocupada com o meio ambiente e a sociedade e movimenta esforços para contribuir para a sustentabilidade possui maior possibilidade de crescimento e resiliência às crises, além de conseguir desenvolver suas atividades com menor impacto ao clima e aos ecossistemas naturais.

 

Mas o que são os créditos de carbono e como funcionam?

o que é compensação de carbono.png


Créditos de carbono são os produtos de um mercado que tem o objetivo de auxiliar empresas e países a atingirem a descarbonização.  Em termos numéricos, cada crédito equivale a medida de 1 tonelada de dióxido de carbono. De forma bastante resumida, as toneladas que deixaram de ser emitidas normalmente podem ser negociadas internacionalmente ou em nível nacional.

Desse modo, uma organização compra créditos de carbono de outra (organização, instituição ou projeto) e recebe os investimentos. Isso indica que quem deseja gerar créditos precisa passar por um processo de cálculo e aprovação para de fato obter esses créditos de carbono.

O processo inclui: seguir uma metodologia globalmente reconhecida, possuir um método avaliado por especialistas da área, obter aprovação do governo local, ter registro em órgãos oficiais e, por fim, receber a verificação por parte de uma Unidade Operacional Designada (DOE) para então conseguir de fato o crédito de carbono emitido.

 

Empresas que possuem frotas de carros: como reduzir a emissão de CO2?

sustentabilidade na localiza.png


Depois de entender melhor a compensação de carbono e os caminhos da transição para uma economia de baixo carbono, torna-se mais fácil para as empresas enxergarem a importância dessa prática para um futuro mais sustentável. Isso as motiva a cooperar para um mundo mais sustentável.

Mas, no caso das empresas que possuem frotas, como elas podem reduzir suas emissões?

Algumas atitudes simples, além da compra de créditos de carbono, podem ajudar a reduzir a emissão de CO2 por essas empresas e, como consequência, ajudar na redução de custos.

 

Não deixe de ler também! Sustentabilidade: como ter uma frota mais consciente?

 

São algumas dessas atitudes:

 

1.  Utilização de combustíveis limpos e renováveis​

Os combustíveis ecológicos ou de fontes renováveis, como o etanol e o biodiesel, chegam a economizar cerca de 500 kg de CO2 por ano a cada 20.000 Km rodados, em comparação com os combustíveis fósseis.

A Localiza Gestão de Frotas já implementa essas ações na rotina de trabalho das frotas, com o propósito de contribuir para o futuro da mobilidade sustentável. Inclusive, em dezembro de 2021, recebemos, pela terceira vez consecutiva, o Selo Ouro de Responsabilidade Ambiental da EcoVadis, em reconhecimento ao nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável. Essa classificação nos coloca entre os 5% das melhores empresas avaliadas pela organização.

A Localiza abastece todos os carros bicombustível (flex) com etanol, o que representa 99% da frota. Também atualizou suas políticas internas, estimulando a utilização desse combustível em sua frota administrativa.

 

2. Atenção à direção do veículo

Incentivar que os condutores mantenham sempre uma velocidade constante no controle dos veículos também é uma ótima prática. Evitar freadas bruscas e arrancadas, por exemplo, pode reduzir bastante a emissão de C02.

 

3. Utilização do ar-condicionado apenas quando necessário

Embora o ar-condicionado propicie um conforto ao condutor, principalmente em dias de temperaturas mais elevadas, a sua utilização aumenta em 10% o consumo de combustível, aumentando por consequência a liberação de CO2 na atmosfera.

 

4. Revisões periódicas nos veículos

Manter as revisões dos carros da frota em dia, sem dúvida, garante mais segurança e maior qualidade dos serviços. Um veículo em más condições de uso polui mais e consome uma porcentagem maior de combustível.

 

5. Escolha de veículos eficientes

Sempre que possível, faça a opção por veículos que emitam menos CO2 por Km rodado, segundo a avaliação do INMETRO.

Gostou do conteúdo?

Fique sempre por dentro de tudo o que há de mais atual e inovador no universo da mobilidade e da gestão de frotas.

Saiba mais!