Icon GF

Menu

Localiza Gestão de Frotas
Ícone Phone

FALE CONOSCO

Icon GF

Menu

Localiza Gestão de Frotas
Ícone Support

FALE CONOSCO

Você está em:
Última atualização em 12/9/2022

Evolução da frota de veículos no Brasil

Veja qual é o tamanho da frota brasileira, evolução, tipos de veículos, idade da frota no Brasil, veículos por habitante e mais. Fique por dentro do tema!
Evolução da frota de veículos no Brasil

​​A evolução da frota de veículos no Brasil tem tudo a ver com o crescimento econômico, mudanças de hábitos e tendências de mercado. Você quer saber um pouco mais sobre a quantidade de carros, idade e características da frota brasileira?  

Então confira este compilado atualizado que preparamos sobre a frota de carros no país, em 2018. 

​Evolução das frotas de veículos: nú​mer​os no Brasil 

De acordo com dados do IBGE,​ a frota de veículos no Brasil em 2018 ultrapassa a marca de 100,7 milhões de unidades, somando todas as categorias. Isso representa um crescimento contínuo desde 2010, quando o número era de 64,8 milhões.  

Paralelamente, um relatório elaborado pelo Sindipeças aponta que mais de 44,8 milhões de automóveis, comerciais leves, ônibus e caminhões estão em circulação pelo país, o que significa um crescimento de 1,9% em relação a 2017. Já número de motos em circulação diminuiu.  

Tipos de veículo 

Os dados do IBGE apontam um crescimento contínuo de automóveis entre 2010 e 2018, que passaram da casa dos 37,1 para os 54,7 milhões de unidades no período.  

No mesmo sentido, para carros, caminhões e ônibus circulantes, as informações do relatório do Sindipeças também mostram o crescimento. De 2009 até 2018, o número evolui de 29 para 44,8 milhões, sem quedas.  

Já o número de unidades de motocicletas pode ter aumentado, mas a circulação diminuiu – o que pode ser interpretado como mais pessoas deixando motos antigas na garagem. Segundo o estudo do Sindipeças, de 13,5 milhões de motos circulantes em 2016 o volume passou a 13,1 em 2018 – ou seja, queda de aproximadamente 3%.  

Vale lembrar que os dados do IBGE contam as unidades no país, não especificando se estão em circulação ou não. Enquanto isso, os dados do Sindipeças são referentes aos veículos circulantes, conforme a própria instituição define.  

​Segundo IBGE – unidades*   

  • Automóveis: mais de 54,7 milhões 
  • Picapes e furgões: mais de 11,7 milhões 
  • Caminhões: mais de 3,3 milhões 
  • Ônibus: mais de 600 mil 
  • Motos: mais de 22 milhões 

*principais categorias, presentes também no estudo da Sindipeças.  

​Segundo Sindipeças – unidades em circulação  

  • Automóveis: mais de 37 milhões  
  • Picapes e furgões: mais de 5,7 milhões 
  • Caminhões: mais de 2,3 milhões 
  • Ônibus: mais de 386 mil 
  • Motos: mais de 13 milhões 

Idade da frota no Brasil 

A idade da frota de veículos no Brasil é calculada a partir da média, que ficou em 9 anos e 6 meses, segundo o relatório do Sindipeças.  

Analisando a idade em grupos separados, o estudo destaca que 55% da frota é composta por veículos com 6 a 15 anos de uso. Em segundo lugar, estão os veículos com até 5 anos – eles representam 28% do número total circulante.  

Idade da Frota – Segundo Sindipeças 

• Até 5 anos: mais de 12,4 milhões 

• 6 a 15 anos: mais de 24,5 milhões 

• + de 16 anos: mais ​​​​​​​de 7,3 milhões 

• + de 25 anos: mais de 220 mil 

Para manter a sua frota sempre nova e conservada, faça um orçamento online para terceirizar a sua frota de veículos!

Veículos por habitante 

Segundo o levantamento do Sindipeças, o número se mantém constante desde 2016: cerca de 4,7 habitantes por veículo. O índice representa uma queda de 33% desde 2008, quando a relação era de um carro para 6,9 pessoas.  

Veículos por cidade 

No site do IBGE, é possível traçar o comparativo da frota entre regiões do Brasil. Na cidade de São Paulo, estão mais de 8 milhões de unidades de veículos – o que torna a frota paulista 8 mil vezes maior do que a de Dois Vizinhos das Missões (RS), com 1044 unidades, por exemplo.  

Lista de veículos por capital segundo IBGE – unidades 

  • São Paulo (SP):  mais de 8,2 milhões 
  • Rio de Janeiro (RJ): mais de 2,8 milhões 
  • Belo Horizonte (MG): mais de 2 milhões 
  • Brasília (DF): mais de 1,8 milhão 
  • Curitiba (PR):  mais de 1,5 milhão 
  • Goiânia (GO): mais de 1,1 milhão 
  • Fortaleza (CE): mais de 1 milhão 
  • Salvador (BA): mais de 915 mil 
  • Porto Alegre (RS): mais de 880 mil 
  • Recife (PE): mais de 680 mil  
  • Manaus (AM): mais de 710 mil 
  • Campo Grande (MS): mais de 590 mil 
  • Teresina (PI): mais de 490 mil 
  • Belém (PA): mais de 450 mil 
  • Cuiabá (MT): mais de 418 mil 
  • Natal (RN): mais de 408 mil 
  • São Luís (MA): mais de 402 mil 
  • João Pessoa (PB): mais de 380 mil 
  • Florianópolis (SC): mais de 350 mil 
  • Maceió (AL): mais de 330 mil 
  • Aracaju (SE): mais de 309 mil 
  • Porto Velho (RO): mais de 270 mil 
  • Boa Vista (RR): mais de 190 mil 
  • Vitória (ES): mais de 190 mil 
  • Palmas (TO): mais de 180 mil 
  • Rio Branco (AC): mais de 170 mil 
  • Macapá (AP): mais de 150 mil 

Mobilidade urbana e frotas 

As características da frota brasileira permitem concluir alguns apontamentos quando o assunto é mobilidade urbana. Destacamos os principais. 

1. A relação de veículo por habitante aponta que mais pessoas estão contanto com meios de transporte motorizados para se deslocar. 

2. O aumento da frota também sugere que as pessoas estão utilizando mais aplicativos de transporte. Uma pesquisa do Instituto Locomotiva, divulgada em matéria da Época Negócios, por exemplo, destaca que existem 5,5 milhões de cadastros em aplicativos como Uber, 99 e Cabify. Além disso, o Brasil é o segundo maior mercado de Uber do mundo, com mais de 22 milhões de usuários, de acordo com reportagem da revista Exame.  

Paralelamente, o coordenador do Insper, Paulo Furquim de Azevedo, estima que apenas nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro os aplicativos de transporte movimentem aproximadamente R$ 3 milhões por dia.  

3. A concentração das pessoas tem tudo a ver com a concentração de veículos. Onde há mais habitantes, há mais mercado e mais necessidade de deslocamento. São Paulo e Rio de Janeiro são as maiores cidades e economias do país – consequentemente, a frota das capitais é a mais expressiva.  

O crescimento da frota de veículos no Brasil pode se traduzir, também, em evolução econômica – desde que outros fatores evoluam junto. Por exemplo: a conscientização sobre trânsito seguro, preservação do meio ambiente e urbanização adequada. Inclusive, algumas soluções para mobilidade urbana são destacadas aqui. 

Frota do Brasil e frota da empresa 

Os indicadores da evolução da frota de veículos no Brasil também apresentam uma oportunidade para as empresas: a idade dos carros.  

Tendo em vista que a maior parte dos automóveis circulando são mais velhos, veículos novos tornam-se um diferencial para empresas que atuam com frotas, especialmente quando contam com frota terceirizada. Isso porque em fornecedores como a Localiza Gestão de Frotas, por exemplo, os carros são sempre novos e não há necessidade de preocupar-se com depreciação.​

Equipe Localiza Gestão de Frotas
Icon FacebookIcon LinkedinIcon Twitter