Icon GF

Menu

Localiza Gestão de Frotas
Ícone Phone

FALE CONOSCO

Icon GF

Menu

Localiza Gestão de Frotas
Ícone Support

FALE CONOSCO

Você está em:
Última atualização em 5/7/2022

Gestão de manutenção de frota

Fazer a gestão de manutenção de frota é um trabalho de certa complexidade. Preparamos um checklist de itens que precisam de revisão e práticas que sua empresa já pode adotar.
Verificação de manutenção

​​​​​​​​​​​

Como gestor de frotas, você deve saber que cada carro tem sua particularidade. E o trabalho de manutenção de frota se torna complexo também porque são vários itens do motor e outros sistemas do veículo que precisão de atenção. Além do fato que as recomendações do fabricante de cada carro podem mudar, há uma variação no perfil de condução dos motoristas. Isso tudo deve ser considerado na gestão da manutenção.

A boa notícia é que existem formas de facilitar essa missão: com um bom controle e ajuda do parceiro certo. 

Quer entender mais? Então acompanhe este artigo até o final!


Gestão de manutenção de frota: principais itens para revisão

Confira os principais itens que precisam de revisão nos carros da sua frota.

Óleo​

O óleo do motor é um dos principais itens para verificar na manutenção preventiva. Cada veículo tem o prazo de troca recomendado pela montadora – e essa informação está no manual do carro. De um modo geral, a substituição do fluido ocorre a cada 10 mil quilômetros rodados ou seis meses, e é fundamental para garantir a vida útil do automóvel.

Isso porque o óleo é responsável pela lubrificação adequada das peças, evitando o desgaste dos componentes ou algo ainda pior: um motor travado. A medida que o óleo é utilizado, acumula impurezas e perde parte de suas características físico-químicas, o que impacta na eficiência. Portanto, tem um período de validade que deve ser respeitado.

Outro detalhe importante sobre o fluido é seu tipo: no manual, há a recomendação de qual categoria de óleo o carro precisa. ​

Sistema de arrefecimento

O sistema de arrefecimento é responsável por garantir a temperatura adequada do motor: aproximadamente 90 graus celsius, segundo especialistas em matéria para a revista AutoEsporte. Essa faixa de temperatura é ideal porque não é fria demais para prejudicar o funcionamento do veículo e nem quente demais para queimar e derreter peças.

O mecanismo é formado por diversos componentes – entre eles mangueiras, radiador e um fluido, que é composto por água desmineralizada e aditivo. Na revisão, todo o sistema é verificado para garantir que não há vazamentos ou mau funcionamento. O líquido é trocado a cada dois anos, aproximadamente, mas o manual traz os detalhes. ​

Freios

O sistema de freios deve ser revisado numa manutenção preventiva: fluido, discos, pastilhas e tudo que compõe o mecanismo de frenagem. A intenção é verificar se o sistema está funcionando corretamente e sem risco iminente de defeito. Além disso, o fluido é trocado uma vez por ano, geralmente – mas é fundamental observar a recomendação da montadora para essa troca.

Outras peças também podem ser substituídas a cada 10 mil quilômetros rodados, mesmo que não apresentem riscos. Aqui, mais uma vez, vale a combinação entre recomendação do fabricante e avaliação do profissional mecânico na revisão.

Velas

As velas do motor também precisam passar pela revisão. O período para analisar esses componentes e substitui-los depende muito da marca e modelo do carro. Segundo reportagem do site Terra, por exemplo, essa diferença pode ser de 10 mil a 100 mil quilômetros. Portanto, ficar atento ao manual do veículo é primordial para a manutenção preventiva correta.

Filtros​

Filtros de ar, óleo e combustível são essenciais para impedir que sujeira passe para outros componentes do veículo. Portanto, fazem parte da revisão do carro e devem ser substituídos com certa frequência. De um modo geral, a cada 10 mil quilômetros é preciso trocar – mas a recomendação válida é sempre a da montadora, como temos alertado ao longo do artigo.

Pneus​

Os pneus do carro precisam da revisão programada, mas é o tipo de item que merece uma atenção especial continuamente. Isso porque o desgaste excessivo ou calibragem incorreta prejudica a segurança do condutor e aumenta o consumo de combustível.

A dica é manter a pressão dos pneus sempre de acordo com o indicado no manual e prestar atenção das marcações da borracha – se as fendas entre os desenhos não estiverem aparecendo ou indicador TWI estiver mais alto que esses relevos, é hora de trocar.

Na revisão do veículo, ainda entram:

  • Suspensão;
  • Alinhamento;
  • Balanceamento;
  • Correia dentada;
  • Radiador;
  • Caixa de câmbio (manual e automático);
  • Sistema elétrico;
  • Limpador de para-brisa.

​ 

Leia também: Como controlar e reduzir custos da sua frota 

Como fazer a gestão de manutenção da frota​

Como vimos, existem inúmeros itens fundamentais para o funcionamento de cada carro – e a revisão e substituição de peças varia de acordo com a marca, modelo e utilização do veículo. Por conta dessa diversidade de dados, é preciso adotar algumas práticas e ferramentas para um gerenciamento preciso e que garanta a eficiência da frota, otimização dos recursos e redução de custos. Confira.

1. Tenha um histórico dos carros

É fundamental manter todas as informações sobre os veículos da sua empresa. Marca, modelo, ano de fabricação, datas de revisões e quais peças foram trocadas são dados básicos de cada automóvel que precisam ser armazenados com clareza e confiabilidade.

Assim, o gestor de frotas consegue agendar as revisões no tempo certo de cada montadora e garante o funcionamento do veículo e redução de custo.

Aqui, inclusive, é recomendável ter um sistema de gestão de frotas como o MyFleet, que ajuda a administrar com precisão e facilidade os dados de cada veículo e suas respectivas revisões.

2. Preste atenção nos dados de condução​

Informações sobre a condução dos carros da frota também ajudam a fazer a gestão de manutenções com foco em otimização de recursos e redução de gastos. Dados sobre frenagem ou aceleração, por exemplo, podem permitir a criação de políticas de direção segura que além de contribuir com a proteção do time, colaboram com a vida útil dos veículos.

Nesse caso, um sistema de telemetria como o Carro Conectado é a pedida certa porque entrega essas informações, além de permitir o monitoramento em tempo real da rota adotada pelo motorista. ​

3. Conte com um parceiro

Para fazer a gestão de manutenção de frota, você também pode contar com um parceiro que vai facilitar todos os procedimentos que envolvem os veículos que sua empresa utiliza. Esse parceiro é o fornecedor de frota terceirizada – como a Localiza Gestão de Frotas. Explicamos.

Com a Localiza Gestão de Frotas você não precisa se preocupar com compra de veículos, documentação, seguro, desvalorização ou revenda. Basta escolher a frota ideal e receber os carros novos em sua empresa, prontos para serem utilizados. Na hora de trocar a frota, basta renovar o contrato e receber outros modelos novos no lugar dos usados.

E a melhor parte: durante o período de utilização dos carros, o gestor de frotas da sua empresa conta com o apoio dos consultores especialistas da Localiza, que vão auxiliar em todo o controle de manutenção preventiva. Tem mais: se algum veículo precisa de mais atenção na oficina, o trabalho não fica parado. A Localiza Gestão de Frotas fornece carros substitutos para o tempo que o carro da sua empresa estiver no conserto.

Aproveite e confira as vantagens de terceirizar com a Localiza Gestão de Frotas.

Equipe Localiza Gestão de Frotas
Icon FacebookIcon LinkedinIcon Twitter