​Fazer a renovação da frota é fundamental para que os veículos contribuam de verdade com o negócio. Mas, como saber quando é a hora certa de trocar os carros da empresa?   

Separamos seis condições que dizem a você se o momento chegou, e uma dica bônus para renovar a frota com mais economia e eficiência. Acompanhe! 


1. Alta quilometragem ​​​​​

​Apesar da manutenção preventiva ajudar a prolongar a vida útil do motor e permitir que o carro funcione bem durante muitos anos, quando a quilometragem dos veículos começa a ficar alta é um sinal de que chegou a hora de renovar a frota.  

Isso tem a ver, principalmente, com a revenda. Empresas com frota própria precisam se preocupar com a depreciação dos automóveis, já que devem cuidar da venda desses veículos para recuperar um pouco do investimento feito para a compra dos carros. Com muitos quilômetros rodados, o valor de mercado do automóvel diminui naturalmente e, mesmo que em perfeitas condições, normalmente o preço da venda terá que ser mais baixo.  

Por isso, antes de completar quilometragens muito altas, é interessante revender para renovar. Inclusive, não se preocupar com a desvalorização e revenda na hora de trocar os veículos da empresa é mais uma vantagem das frotas terceirizadas.  


2. Muitas manutenções corretivas ​

Manutenções corretivas.jpg

Geralmente, o desgaste das peças combinado à falta de revisões periódicas gera uma série de problemas que resulta em carro parado na oficina. Portanto, quanto maior a frequência e os gastos com manutenções corretivas, mais claro é o sinal de que chegou o momento de fazer a renovação da frota.  

​ 

3. Tecnologia defasada 

carros com tecnologia defasada.jpg

Cada vez mais, as montadoras desenvolvem carros com tecnologia embarcada que melhoram o desempenho e a segurança dos mesmos. Nos últimos anos, grandes fabricantes têm se dedicado a criar automóveis que combinam performance com economia de combustível, por exemplo. Isso, sem contar os dispositivos de segurança e sustentabilidade que se tornaram obrigatórios. ​

Avaliar se os carros da empresa estão com tecnologia e acessórios atualizados, ou pelo menos mais recentes, é fundamental para decidir se chegou a hora de trocar a frota. E dados colhidos durante o dia a dia podem ajudar.  ​ 

Por exemplo: se dois carros da mesma categoria possuem muita diferença de consumo de combustível por quilometro rodado , provavelmente é porque um deles possui tecnologia mais avançada. Ou seja, o mais defasado pode estar gerando mais custos e impactando na eficiência do serviço – bom momento e motivos para trocar.  


4. Contrário às práticas sustentáveis​

carros-que-poluem-blog.jpg

Ainda pensando em veículos mais atualizados, as práticas sustentáveis da empresa também são vistas na frota. Em outras palavras, além de essencial para a conservação do meio ambiente, contar com carros limpos diz muito sobre sua marca aos clientes.  

O conceito de carro limpo vem desde a montadora. São automóveis de fábricas que adotam práticas sustentáveis no processo industrial – como não desperdiçar água, reciclar materiais e emitir a menor quantidade de gases possível. A ideia continua no próprio veículo, que tem soluções mais amigáveis com a natureza. É o caso dos motores flex, catalisadores mais eficientes e sistema de desligamento automático, por exemplo.  

A defasagem do automóvel em relação às evoluções nessa área, acabam custando caro para a empresa. Essa  é mais uma vantagem de contar com frotas terceirizadas por locadoras sérias e comprometidas com práticas sustentáveis​, ao invés de comprar os carros. E para negócios que operam com frota própria, rever os critérios do conceito de carro limpo em seus veículos e trocar as unidades ultrapassadas é fundamental.  


5. Danos à marca da empresa 

​Por falar em práticas sustentáveis e tecnologia, a frota exerce uma função secundária além de deslocar o pessoal, prestar atendimento e entregar produtos. Ela funciona como cartão de visita. Por isso, se os veículos estão poluindo ou desgastados demais, é uma publicidade negativa para a sua marca – e um sinal de que é hora de trocar a frota.  

 

6. Baixa ocupação  

A hora de fazer a renovação da frota também chega quando há veículos que não estão sendo usados da forma como deveriam porque são incompatíveis com a atividade, ou dão muitas despesas.  

A taxa de ocupação de cada automóvel da sua empresa deve ser satisfatória, isto é, o carro precisa estar na rua e contribuindo com o negócio. Quando ele fica mais tempo parado do que em serviço, é hora de estudar a possibilidade de trocar o modelo por um que atenda às necessidades da operação.  

 

Dica extra: como renovar a frota com economia e mais eficiência 

​Para economizar na hora de renovar a frota, existem duas alternativas – uma menos e outra mais eficiente.  

A primeira é cuidar para que todos os itens acima sejam aplicados. Ou seja, trocar antes de quilometragens altas, antes que tecnologia e práticas de sustentabilidade tornem-se defasadas, antes de gastar muito com reparo corretivo ou de perder a credibilidade da marca e antes de desperdiçar tempo e recursos com carro parado.  

Apesar de trabalhosos, esses cuidados com a frota própria podem garantir que você não gaste tanto dinheiro e economize um pouco em novas negociações.  

E a segunda alternativa para fazer a renovação da frota com economia, e ainda mais eficiência, é contar com a terceirização de frotas.  

Na Localiza Gestão de Frotas, por exemplo, a frota toda é desenhada junto ao gestor para que os carros atendam às necessidades especificas da empresa e não fiquem parados. Além disso, são novos e com tecnologia atualizada, compatíveis com as melhores práticas de sustentabilidade e economia, o que gera mais eficiência no dia a dia de serviço e contribui até com a sua marca.  

E o principal: na hora de renovar a frota, sua empresa não precisa se preocupar com revenda, depreciação e perda de dinheiro, já que recebe carros novos sem desembolsar quantidades exorbitantes de verba ou ter surpresas no orçamento, uma vez que isso faz parte do serviço contratado com a Localiza. Aproveite e conheça mais​.